Pescando na chuva | Revista Pesca Esportiva

Pescando na chuva


Julio Hosoiri
19/12/2014

Ao contrário do que se pensa, pescar sob a chuva pode ser tão ou mais produtivo do que num dia ensolarado e sem nuvens

 

Começa a chover… E agora? Será que a pescaria vai ser boa? Esta é uma pergunta recorrente entre pescadores e muitas vezes levam a desistências de última hora. Alguns acreditam que sinal de chuva é igual a poucos peixes e fisgadas. Pois saiba que pescar nesses dias pode ser igualmente bom, ou até melhor, do que com o céu sem nuvens. Para tirar proveito de situações como essa basta interpretar os tipos de chuva e saber o que fazer quando a água começa a cair do céu.

As chuvas
Nas estações mais quentes, os dias nublados, tendem a proporcionar pescarias com produtividade constante ao longo do dia, sem aquelas pausas típicas dos horários mais quentes, quando os peixes param de comer e sobem à superfície a procura de oxigênio.

Fique atento. Os peixes percebem antecipadamente mudanças nas condições do clima e começam a se alimentar intensamente nas vésperas do fenômeno e logo após chuvas passageiras.

As garoas, por sua vez, espantam bem mais os pescadores do que os próprios peixes, que se acostumam em pouco tempo com as mudanças, principalmente na pressão atmosférica. O mesmo vale no inverno, especialmente quando a garoa persiste por alguns dias.

Evite chuvas torrenciais, pois certamente não proporcionam boas condições para a pesca em geral. Precipitações causadas por frentes frias ou acompanhadas de ventanias também não são boas opções. Porém, mesmo nesses casos, a culpa não é propriamente da chuva.

Cuidados importantes
E quando a água já está caindo? É possível realizar boas pescarias debaixo de chuva. Mas além de ter em mãos uma boa capa de chuva, é importante estar atento a certos fatores para pescar com segurança e melhorar sua produtividade.

Raios: numa tempestade com queda de raios, o melhor a fazer é interromper a pescaria e se abrigar sob uma estrutura grande e sólida. Varas de grafite, árvores e mesmo você, quando próximos à água, se tornam referências para atrair relâmpagos.
Trajeto: em dias chuvosos, vá a pesqueiros cujo percurso é seguro, tanto na ida quanto na volta. Conheça bem a estrada pela qual vai transitar e evite pistas que alagam ou barreiros em que o veículo possa atolar.
Posição das varas: durante chuvas acompanhadas de ventos, abaixe a ponta da vara, o mais próximo que puder da superfície da água. A ideia é evitar a ação do vento sobre o equipamento, o que pode dificultar a detecção de ações. Dê preferência para montagens que utilizem chumbadas, elas manterão as linhas mais esticadas e também proporcionarão melhor percepção.

Linhas & boias: algumas cores são mais fáceis de enxergar em dias nublados. Linhas amarelas ou esverdeadas, quando molhadas, ficam mais nítidas, o mesmo vale para anteninhas e boias. O modelo Lambari tem boa flutuação, mesmo sob a ação da chuva.
Iscas: evite expô-las à chuva e as deixe tampadas ou cobertas. As massas devem ser preparadas um pouco mais duras que o usual, pois mesmo protegidas, receberão umidade. Se passarem do ponto, é só acrescentar um pouco do preparado seco. As minhocas, principalmente da variedade Califórnia, morrem rapidamente se mergulhadas na água (as “puladeiras” são mais resistentes). E os bichinhos da laranja, quando molhados, perdem seus movimentos e ficam menos atrativos para as tilápias.

+ dicas
– Cevas são igualmente importantes e eficazes nos dias chuvosos, principalmente se forem feitas com massas que esfarelam, formando uma espécie de véu na água.
– A pesca noturna em dias quentes, durante e após as chuvas, rende bons resultados com peixes redondos e tilápias.
– Calçados antiderrapantes e mesmo botas facilitam a locomoção e aumentam a segurança, principalmente em locais com barro e pedras lisas.

 

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter


Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.