Pesca do leitor


Da Redação PESCA ESPORTIVA
21/11/2016

O “Bem na foto” do mês de novembro, é do pescador Rodrigo Marim. Confira a pescaria dele em Ita Ibaté, na Argentina

 

Eu e mais 6 amigos saímos de Presidente Prudente/SP com destino a Ita Ibaté, na Argentina. À noite na pousada, todos devidamente instalado, fomos apresentados aos guias de pesca. O meu guia, o Schumacher, olha minhas carretilhas e diz: irmão aqui só multifilamento, todas as minhas carretilhas estavam com monofilamento, pois é assim que gosto de pescar.

Na manhã seguinte, logo cedo entrando no barco, disse ao Schumi: – bom dia, ele respondeu: multifilamento?

Eu disse: monofilamento!

Esse falou: não sei se será um bom dia!

Saímos para pesca de corrico, tentando o dourado. Após algumas horas cruzando o rio, o peixe entra, eu estava com uma vara de 40 lbs, linha 0,50mm e isca argentina chamada CUCU. Na fisgada o peixe saltou longe, pois havia mais de 70 metros de linha na água, foi apenas 1 salto. Após a briga um lindo dourado de 17 kg. Fotografado e devolvido à água.

No segundo dia de pesca, fomos tentar o surubim, estávamos corricando, quando Schumi, muito experiente observou que minha linha não estava afundando o suficiente, pois eu estava com vara de 60lbs, linha 0,65mm monofilamento. Ele resolve trocar minha linha, colocando uma monofilamento de 0,35mm e uma vara de 30lbs.

Após algum tempo no currico, o surubim entrou….

Muita correria na lancha, o peixe passou por baixo de um pau…. Estava tomando toda a linha, na carretilha tinha apenas uns 30 metros dos 200 que Schumi colocou….

Após uma atitude de desespero a linha soltou do pau….

Correria, eu recolhendo linha e Schumi acelerando a lancha atrás do monstro. Devido minha traia estar muito leve para um peixe dessas proporções, demorei 1 hora e 40 min para tirar o peixe. Abria e fechava fricção diversas vezes…, eu sabia que o peixe estava em vantagem, só me restava a paciência e um finzinho de forças, pois já estava exausto.

Após embarcarmos o peixe, fomos a uma praia, fotografamos e medimos, 1,77 mts, peixe devidamente liberado ao seu habitat. Não conseguimos pesar, pois não tínhamos balança para tanto.

Hoje, após a adrenalina, acho que foi o peixe da minha vida. Agradeço a Deus pelo presente, ao companheiro de pesca Dr. Helio Martinez e ao experiente guia Shumacher.

 

 

 

Fotos: Arquivo Pessoal/Rodrigo Marim

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.