Robalo-peva | Revista Pesca Esportiva

Robalo-peva


Nome científico: Centropomus parallelus

Família: Centropomidae

Outros nomes comuns: Robalo-peba, camurim-apuá, cambriaçu, camurim-branco, camurim-amarelo, camurim-peba, camurim-pena, camurim-tapa, camuri, cangoropeba.

Onde vive: Ocorre da Flórida a Santa Catarina (no verão).

Tamanho: Chega a 70 cm e 5 kg. O recorde da IGFA é de 4,960 kg, aqui do Brasil mesmo, no Rio Grande do Sul (rio Mampituba), de 2 005.

O que come: Alimenta-se de peixes, crustáceos, moluscos, insetos, vermes e o que mais passar em sua frente.

Quando e onde pescar: O ano inteiro, em rios costeiros, mangues, praias, costões rochosos e estuários, da superfície aos 20 metros de profundidade.

Status de conservação: Não ameaçado.

 

fonte: Bíblia do pescador 2010

Dicas de Pesca

Para os robalos-peva, iscas artificiais, como plugs (até 10 cm), pequenos jigs de penas e de metal fazem grande sucesso entre eles, principalmente se o pescador estiver em áreas de baías e estuários, pescando no fundo. Camarões artificiais de tamanho médio também são excelentes opções, até em regiões do Nordeste, em meio aos currais de pesca e às arvores de manguezais. Caso a preferência seja por iscas naturais, escolha sardinhas, parati e camarões vivos.

Jum Tabata
06/01/2015
Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter


Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.