Pirarucu


Nome científico: Arapaima gigas

Família: Arapaimatidae

Outros nomes comuns: Bodego, pirosca.

Onde vive: Bacias amazônica e do Tocantins-Araguaia.

Tamanho: Até 2,5 m e mais de 200 kg. O recorde homologado na IGFA é de 130 kg, capturado no Amazonas em 2 008.

O que come: Frutas, sementes e peixes.

Quando e onde pescar: Durante o dia e a noite, em lagos.

Status de conservação: Espécie protegida pela Instrução Normativa 05, de 2 004, do Ministério do Meio Ambiente. Na bacia do Tocantins-Araguaia, é protegida segundo normas da Portaria n°03, de 2 003, da Agência Ambiental do Estado de Goiás, sendo sua captura proibida nesses locais.

 

fonte: Bíblia do pescador 2010

Dicas de Pesca

Uma das formas mais eficazes de pescar o pirarucu é visualmente. O arremesso deve ser dado imediatamente à frente de onde o peixe sobe para tomar ar. São boas iscas naturais a traíra e o jacundá, bem como sardinhas. Com anzóis circulares, é possível fisgá-lo sem maiores danos, facilitando o pesque-e-solte. Capturas com iscas artificiais acontecem esporadicamente, desde que elas sejam bastante semelhantes ao alimento natural disponível no local.

Jum Tabata
05/01/2015
Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.