Piraíba


Nome científico: Brachyplathystoma filamentosum

Família: Pimelodidae

Outros nomes comuns: Filhote.

Onde vive: Bacias amazônica e do Tocantins-Araguaia.

Tamanho: Até 3,6 m e mais de 200 kg. O recorde homologado na IGFA é de 155 kg, capturado no rio Solimões, AM, em 2 009.

O que come: Peixes inteiros.

Quando e onde pescar: O ano todo, em poços fundos, confluência de rios e canais com corredeiras.

Status de conservação: Houve diminuição acentuada dos estoques em alguns locais da bacia amazônica. Na bacia do Tocantins-Araguaia, é espécie protegida, segundo normas da Portaria n° 3, de 2 003, da Agência Ambiental de Goiás.

 

fonte: Bíblia do pescador 2010

Dicas de Pesca

Para ter alguma chance na luta com uma piraíba, é necessário ter muita linha – pelo menos 200 metros – no molinete ou carretilha. Se a vara estiver na espera, deixe que ela puxe cerca de 10 a 15 metros de linha antes de fisgar. Não tenha receio de usar iscas grandes: cabeças de bicudas, cachorras e piranhas, bem como branquinhas inteiras, são bastante atrativas a ela. O uso de cinto para suporte de vara é indicado, uma vez que a briga sempre é longa e exige muita força do pescador.

Jum Tabata
05/01/2015
Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.