Marlim-branco


Nome científico: Tetrapturus albidus

Família: Istiophoridae

Outros nomes comuns: Agulhão-branco, agulhão-prata, agulhão, bicuda, espadarte-meca e espadim-branco.

Onde vive: Atlântico Ocidental, da Nova Escócia (Canadá) à Argentina. É muito mais comum nessa região do que ao largo das costas africana e europeia.

Tamanho: Até três metros e 100 quilos no Pacífico, e 3,2 metros e 60 quilos no Atlântico. Os recordes mundiais da IGFA são: 82,5 kg, de 1 979, Vitória, ES (T. albidus), e, 58 kg, de 1 999, Espanha (T. pfluegeri).

O que come: Peixes, lulas, zooplâncton e crustáceos pelágicos.

Quando e onde pescar: Por todo Brasil, durante a primavera e verão.

Status de conservação: Não ameaçado. Há normas do Ministério da Pesca específicas para os peixes desta família, proibindo, inclusive, a comercialização do agulhão-branco.

 

fonte: Bíblia do pescador 2010

Dicas de Pesca

Pelo seu tamanho médio, o marlim-branco ainda é um grande troféu possível de ser capturado na forma “stand-up” (com o pescador em pé junto ao costado do barco), o que torna sua pesca especialmente prazerosa. Sem dúvida alguma, os farnangaios frescos são as iscas mais indicadas para pescá-lo.

Jum Tabata
06/01/2015
Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.