Paraíba - Verão nos açudes da Paraíba | Revista Pesca Esportiva

Paraíba – Verão nos açudes da Paraíba


Jum Tabata
20/01/2015

 

Sobre o destino

 

O Estado é privilegiado e uma grande escolha para quem procura um lugar para passar as férias de verão. Com temperatura média na casa dos 33 graus, literalmente não há tempo ruim no verão paraibano. Além das lindas praias, o Estado possui grandes açudes, alguns a menos de 20 quilômetros da capital João Pessoa.

Em todos é possível capturar o cobiçado tucunaré, além dos tambaquis e traíras. O pescador esportivo que pretende se aventurar em águas paraibanas pode ter a certeza de que não existe época mais propícia para praticar sua paixão.

O principal fator nesta época do ano é a elevação das temperaturas, que, combinado aos períodos prolongados de seca, reduz consideravelmente o nível de açudes e barragens, tornando as pescarias mais fáceis e fartas.

Embora os tucunarés-amarelos sejam maioria, em alguns locais já há presença confirmada de espécies de maior porte, como o tucunaré-pinima. Com o volume de água baixo nesses ambientes, incontáveis estruturas ficam expostas.

Além de concentrar os peixes ao redor delas, há bem menos espaço físico para os predadores caçarem e as presas se esconderem, o que significa ação na certa em qualquer isca que cair na água. A regra não só se aplica somente aos tucunarés; ela vale para tambaquis e, principalmente, traíras de grande porte.

As barragens de Gramame, Mamuaba, Boqueirão de Cabaceiras, Coremas e Mãe D’água são as mais procuradas nesta época, pela possibilidade de se pescar tanto embarcado como de barranco.

 

Dicas de viagem

 

Equipamento recomendado

Tucunas e traíras – vara de 5’6”, classe 17 libras, carretilha de perfil baixo preenchida com linha de multifilamento 0,28 mm e líder de fluorcarbono 0,50 mm. As principais iscas são jigs de penacho, no máximo 21 gramas, plugs de meia-água, de 7, 9 e 11 centímetros, camarões artificiais e plugs de superfície de 7 e 9 centímetros.

Tambaqui e tambacu – vara de 5’6” a 6 pés, classe 25 libras, carretilha ou molinete com capacidade para 200 metros de linha de multifilamento 0,35 mm, líder de fluorcarbono 0,60 mm, chumbada pequena tipo oliva e um empate de aço com cerca de 25 centímetros. Entre as iscas naturais indicadas estão: coração de boi, goiaba, caju e massa com essência de groselha.

 

Guias de pesca

Leo Franca
www.facebook.com/Tarponpescacom
tarponpesca@hotmail.com

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter


Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.