Não fique no atoleiro


Giuliano Andretta
22/12/2014

Botar o pé na estrada faz parte de uma pescaria para você? Veja o que fazer para as pedras e a lama no meio do caminho não frustrarem sua aventura

 

Pescador que é pescador nunca está satisfeito com o que tem. Quando toma gosto pelo esporte, sua procura por novos desafios não pára. O pesqueiro no “quintal de casa” passa a não ter mais graça, e chega a hora de pegar o carro e sair em busca de novas fronteiras.

Para uma aventura bem sucedida, planejamento é fundamental. Pesquise as características do local, como a melhor época, infraestrutura, vias de acesso e equipamentos adequados. Naturalmente, estamos sujeitos a enfrentar obstáculos em diferentes situações off-road, que podem ser em meio a terra, lama, areia, água, ou todos eles juntos.

Por isso, separamos algumas dicas para enfrentar situações delicadas e não ficar no meio do caminho.

Na lama
1. Inicialmente, em qualquer tipo de terreno, antes de encarar um trecho crítico, pare o carro, desça e analise as condições. Procure o melhor trajeto e trace a rota ideal a ser seguida.

2. Cuidado ao seguir rastros de veículos pesados, eles podem ser mais profundos que a altura do seu veículo.

3. Ao se aproximar de um terreno inconsistente e enlameado, aumente a velocidade mantendo marcha reduzida (segunda ou terceira) e evite acelerações exageradas que possam fazer as rodas patinar. Se a velocidade cair, aumentam as chances de atolar. Baixar em demasia o giro do motor também não garante o torque ideal e prejudica a tração. Já velocidade em excesso pode gerar perda de controle e consequentes derrapagens. Portanto, o ideal é manter a aceleração constante. Quanto mais espessa a lama, mais reduzida deve ser a marcha.

4. Sempre que possível, verifique se os paralamas estão cobertos de barro ou não. Se estiverem, limpe-o, ou o pneu não eliminará adequadamente a lama da sua banda de rodagem.
5. Uma medida extrema é enrolar cordas ao redor dos pneus, passando-as pelo aro, o mais apertado possível. Elas funcionarão como uma corrente de tração.
6. Caso você perceba que o veículo está atolando, pare imediatamente de acelerar, retire todo o peso possível de dentro do carro, desengate o reboque, tire o máximo de lama em torno das rodas e coloque galhos ou pedras abaixo dos pneus.
7. Saindo do atoleiro, tracione o reboque com uma corda.

Na areia fofa
1. Se a areia não for compactada, em veículos 4×4 utilize a relação tracionada alta, com velocidade constante. Use a reduzida somente se o carro atolar.
2. Antes de chegar ao trecho crítico, procure embalar e passar com velocidade contínua. Não deixe cair o giro do motor.
3. Cuidado com o movimento das dunas causado por fortes ventos. A trilha pode mudar drasticamente de um dia para o outro.
4. Caso o carro atole, não continue acelerando, ele só irá afundar ainda mais. Engate a marcha ré, alterne movimentos para frente e para trás, gire o volante da esquerda para direita e cave buracos, retirando a areia em torno das rodas. Procure molhar a área em volta dos pneus para deixar o solo mais firme e utilize tábuas ou o próprio tapete do carro sob as rodas. Busque ajuda para dar embalo ao carro na hora da saída.
5. Baixar a calibragem dos pneus proporciona maior aderência.

Na água
1. Antes de entrar em contato com a água, é importante que as partes elétricas, tanto do automóvel quanto do reboque, estejam protegidas. Uma solução providencial é aplicar graxa ou silicone nas partes vulneráveis.
2. Caso o contato seja com água salgada, é indispensável que o reboque seja galvanizado, ele sofrerá menos com a corrosão.
3. No caso da travessia de um riacho, inspecione antecipadamente o percurso, verifique a ocorrência de obstáculos e a profundidade. Lembre-se, águas calmas podem indicar leito macio e profundo. Já correntes fortes podem implicar em leito com pedras soltas. Ao cruzar, mantenha a aceleração constante e a velocidade baixa, com marchas reduzidas.
4. Após sair de trechos alagados, é indicado manter, por um curto período, o pedal do freio levemente pressionado, para restaurar a eficiência do sistema de frenagem.
5. Ao descer uma embarcação na água, evite submergir o escapamento do carro. Caso o contato seja inevitável, mantenha a marcha engrenada e uma aceleração constante. Em veículos 4×4, utilize relação tracionada reduzida, tanto para descer quanto para subir com o reboque.

Mais dicas
– Antes de qualquer aventura, é indispensável revisar o veículo, com especial atenção ao nível de óleo no motor, no câmbio e nos diferenciais, além do fluido de freio, água do motor e, principalmente, a condição da embreagem.
– Procure sempre viajar em comboios. Ter um carro de apoio é fundamental para enfrentar qualquer emergência.
– Leve um “kit de sobrevivência off-road”, que inclui pás, cabos de reboque, extensores, lanternas, macacos/chaves de roda compatíveis com a carreta, ferramentas básicas, fusíveis, fita isolante e silver tape e outros.
– Após dirigir na lama ou areia, limpe e verifique os discos e lonas de freio. Tais elementos podem causar frenagens irregulares ou lonas vitrificadas. Verifique também direção, suspensão, rodas, pneus e o sistema de escapamento.
– Entre os principais cuidados, dê atenção especial para a folga e lubrificação dos rolamentos dos cubos de roda dos reboques. O contato frequente com a água causa falhas de lubrificação prematuras. Por esse motivo, são comuns os acidentes causados por rodas soltas.

 

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.