Instituto devolve peixe-boi à natureza após dois anos de reabilitação no AM


Da Redação PESCA ESPORTIVA
24/02/2016

Animal que recebeu o nome de Cassi chegou ainda filhote à equipe.
Soltura foi realizada em lago da Reserva Amanã, na Amazônia

 

 

Um peixe-boi que estava sob cuidados há dois anos foi devolvido ao ambiente à natureza, em um lago na Reserva Amanã, no município de Maraã, a 634 km de Manaus. A soltura foi realizada no dia 18 de fevereiro pelo Instituto Mamirauá que coordena o Centro de Reabilitação de Peixe-Boi Amazônico de Base Comunitária – o Centrinho. O peixe-boi chamado de Cassi chegou ainda filhote à equipe em 2014 e era a caçula do centro.

Quando foi recebida, Cassi tinha aproximadamente 8 meses de vida, com peso de 45 kg e 1,25m de altura. Na data da soltura, o animal já pesava 128 kg e media 1,25m, indicativos do bom desenvolvimento do filhote durante a reabilitação.

Miriam Marmontel, pesquisadora do Instituto Mamirauá, destaca que os animais ficam aos cuidados da equipe, que conta com veterinários, biólogos, educadores ambientais e técnicos, além dos comunitários que também participam e contribuem para os cuidados.

“Todos os animais que soltamos é porque passaram pelo processo de reabilitação e foram considerados aptos, baseado em tamanho, peso, comportamento e exames de saúde. Aptos a serem soltos e consequentemente preparados para a vida em ambiente natural”, reforçou.

De acordo com a pesquisadora, a região da soltura foi escolhida de forma a contribuir para a readaptação do animal em vida livre. “O lago apresenta grande quantidade de alimento disponível, muitas ressacas e recantos para o animal se esconder, e também a presença de outros peixes-boi (como atestado pelos comunitários), e é um lago protegido, de preservação, e a soltura teve a concordância da comunidade”, disse.

Após a soltura, Cassi continua sendo acompanhada, por meio de radiotelemetria. Foi adaptado um cinto equipado com transmissor de sinais de rádio na cauda e a equipe do Instituto monitora o deslocamento do animal na região. “Cassi agora precisará se readaptar ao ambiente natural, explorar seu ambiente muito mais expandido, encontrar locais de abrigo e de alimentação. O monitoramento nos permite acompanhar remotamente estes deslocamentos e comportamentos, e avaliar sua readaptação”, disse Miriam.

Solturas
Esse foi o quarto evento de soltura de peixes-boi amazônicos reabilitados, realizado pelo Instituto Mamirauá. O último aconteceu em janeiro de 2015, quando seis peixes-boi foram devolvidos à natureza. Os animais também receberam cintos com radiotransmissores e continuam sendo monitorados.

 

Foto: Divulgação/ Instituto Mamirauá

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter