Finesse revisitado


Giuliano Andretta
23/06/2017

Listamos para você as principais montagens do estilo finesse fishing, para que você garanta as ações de black basses nos dias em que eles estão mais manhosos

 

Não é a primeira e nem será a última vez que se fala nele. Com a fama que alcançou em nossas águas, o black bass é figurinha cada vez mais tarimbada na mídia vinculada à pesca esportiva em nosso País. De alguns anos para cá, presenciamos enorme evolução nas técnicas à sua pesca, fato impulsionado pelo aumento do intercâmbio de informações, do número de competições e mesmo da crescente pressão de pesca nas represas e lagos em que o bass é encontrado. Nossos colegas norte-americanos e japoneses são os grandes responsáveis por essa globalização de informações. Com uma avalanche de nomes complicados, seria normal assustar o pescador que não está acostumado com o universo do black bass. E como não existem restrições para esses “palavrões”, procuraremos ajudá-lo, classificando as principais montagens (rigs) de finesse fishing, especiais para os dias de manha do peixe típicos do inverno. Vale lembrar que existem inúmeras variações; você pode experimentar, se aperfeiçoar e até criar montagens novas a partir destas que considero básicas para esse estilo de pesca de bass.

 

  1. Down-shot 

É considerada uma das principais montagens do finesse fishing. Inicialmente utilizada por pescadores de São Paulo, hoje está difundida por todo o País. Sua produtividade é indiscutível, mesmo em outras épocas do ano.

 

> Equipamento recomendado:

Varas De 5´8´´ a 6´6´´, classe 8 a 14 libras, de ação média
Carretilhas/molinetes A preferência é pessoal, embora molinetes pequenos ou médios sejam mais indicados, no tamanho 1 500 a 2 500, para pesos inferiores a 4 gramas
Linhas De fluorcarbono, de 4 a 10 libras (maior sensibilidade)
Iscas Plásticas, de 3 a 4 polegadas
Pesos De 3 a 6 gramas, dependendo das condições de pesca. Podem ser em forma de gota, cônico etc
Anzóis Do tipo offset, circle hook, chinu, do tamanho 2 ao 1/0

 

> Montagem: o anzol é amarrado acima do peso, perpendicularmente à linha principal e com a ponta virada para cima. De forma semelhante a uma pernada de pesca de praia, o peso é atado na extremidade da linha principal. A distância peso – anzol varia entre 20 e 40 centímetros.

> Trabalho: espere a isca chegar ao fundo, sempre atento a possíveis ataques na caída. Com a linha suavemente esticada, dê pequenos toques de ponta de vara dando movimento à isca, arrastando lentamente o chumbo no fundo. Com o peixe manhoso, procure trabalhar a isca no mesmo lugar por mais tempo.

> Dica: pequenas iscas plásticas (de 3 a 4 polegadas) que produzem movimentos erráticos, como as minhocas sem rabo (“cut tails”) são muito eficientes, e não devem faltar na caixa.

 

  1. Split-shot

Considerado uma versão mais leve do Carolina Rig, é excelente para locais com fundo plano ou com declividade suave.

> Equipamento recomendado:

Varas De 5´8´´ a 6´6´´, classe 6 a 14 libras, de ação média
Carretilhas/molinetes De preferência, molinetes pequenos a médios, tamanho 1 500 a 2 500.
Linhas De fluorcarbono, de 4 a 10 libras (maior sensibilidade)
Iscas Plásticas, de 3 a 5 polegadas
Pesos De 1,8 a 4 gramas, geralmente de formato esférico
Anzóis Wide Gap, Offset EWG etc, nos tamanhos 2 a 1/0

 

> Montagem: o peso é fixado a uma distância entre 30 centímetros e um metro do anzol, este atado na extremidade da linha principal.

> Trabalho: espere a isca chegar ao fundo, sempre atento a possíveis ataques na caída. Você pode arrastar a isca lentamente com a ponta da vara baixa, ou imprimir longos toques de ponta de vara para cima, esperando a isca chegar ao fundo novamente. Procure alternar os movimentos.

> Dica: se o peixe estiver muito manhoso, experimente aumentar a distância entre o peso e o anzol.

 

  1. Weightless Rig (No-sinker)

 

 

> Equipamento recomendado:

Varas De 5´8´´ a 6´6´´, classe 6 a 14 libras, de ação média
Carretilhas/molinetes De preferência, molinetes pequenos (até tamanho 1 500), para iscas plásticas leves
Linhas De fluorcarbono, de 4 a 10 libras (maior sensibilidade)
Iscas Plásticas, de 4 a 6 polegadas
Pesos não são utilizados
Anzóis Circulares, wacky hooks, EWG etc, nos tamanhos 2 a 1/0

 

> Montagem: o anzol é atado diretamente à linha, sem a utilização de chumbos, miçangas etc.

> Trabalho: lance a isca e espere ela atingir a profundidade de interesse. Trabalhe com curtos toques de ponta de vara.

> Dica: procure utilizar iscas plásticas com peso que facilite o arremesso. Uma forma muito eficiente de iscar é como no sistema Wacky, que será detalhado a seguir. Iscas coloridas facilitam a visualização dos ataques.

  1. Wacky / Jig-wacky

Estão entre os rigs mais provocativos ao bass, devido a uma simples mudança na “iscagem” das softs, fazendo-as pulsar a cada toque.

 

 

>Equipamento recomendado:

Varas De 5´8´´ a 6´6´´, classe 6 a 14 libras, de ação média
Carretilhas/molinetes De preferência, molinetes pequenos a médios, tamanho 1 500 a 2 500
Linhas De fluorcarbono, de 4 a 10 libras (maior sensibilidade)
Iscas Plásticas, de 3 a 6 polegadas
Pesos De 3 a 4 gramas (somente no Jig-Wacky)
Anzóis circulares, wacky hooks, jig-heads

 

> Montagem: o Wacky é uma espécie de variação do No-sinker, com a minhoca iscada pelo meio e deixando a ponta do anzol exposta. O Jig-wacky tem montagem semelhante, mas a isca é colocada num jig-head.

> Trabalho: espere a isca atingir à profundidade desejada e trabalhe com curtos toques de ponta de vara. Procure manter a linha esticada para o Jig-wacky.

> Dica: como a ponta do anzol está exposta, evite utilizar esse rig em locais com muitas estruturas “enroscativas”. Para economizar iscas plásticas, é comum prender, junto a elas, borrachinhas, tubos cirúrgicos ou elásticos usados em aparelhos odontológicos.

  1. Jig-head

O movimento saltitante é a principal característica das iscas plásticas montadas neste sistema, excelente para áreas com drop-offs e vegetação rala no fundo.

 

 

> Equipamento recomendado:

Varas 5´8´´ a 6´4´´, classe 6 a 14 libras, de ação média
Carretilhas/molinetes De preferência, molinetes pequenos a médios, de tamanho 1 500 a 2 500
Linhas De fluorcarbono, de 4 a 10 libras (maior sensibilidade) ou de multifilamento 0,07 a 0,10 mm (com 1,5 metro de líder de fluorcarbono 0,23 mm)
Iscas Plásticas, de 3 a 5 polegadas
Pesos Jig-heads 3 a 4 gramas
Anzóis Jig-heads com anzóis de tamanho 2 a 1/0

 

> Montagem: o jig-head é atado diretamente à linha principal.

> Trabalho: espere a isca tocar o fundo, com a linha sempre esticada, atento a possíveis ataques na caída. Com movimentos curtos e rápidos de ponta de vara, faça a isca “pindocar”, ou seja, subir e descer rapidamente junto ao fundo ou mesmo mais acima, sempre com a linha tensionada.

> Dica: iscas plásticas pequenas podem ser iscadas de formas diferentes no jig-head, com a ponta do anzol exposta ou escondida dentro da minhoca, para enroscar menos.

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.