Ferramentas para confeccionar moscas | Revista Pesca Esportiva

Ferramentas para confeccionar moscas


Betinho Oliveira
27/01/2017

“Ao criar sua própria isca, o pescador viaja nos seus bons pensamentos. Transporta-se para o seu rio preferido, imagina a paisagem… o cheiro do rio… da floresta… e até o peixe abocanhando sua isca… Ele põe na face o seu melhor sorriso. Nesse momento, está em equilíbrio, em estado de graça, ou ainda melhor: em oração.”
A frase acima procura traduzir o sentimento do amante da prática de atar, montar ou confeccionar uma mosca, também conhecida como fly tying. Fisgar um peixe com a mosca feita por você não tem preço. É um prazer intimamente relacionado à capacidade de observação e interação do pescador com o ambiente de pesca. O grande desafio é o de apresentar ao peixe uma isca similar ao alimento preferencial naquela época, dia ou mesmo momento. Adquira as ferramentas descritas abaixo e comece a fazer suas próprias obras de arte. Prepare seu cantinho com uma mesa, boa iluminação, uma cadeira confortável, boa música e “viaje”.

 

1.Morsa ou vise: ferramenta de primeira necessidade para quem pretende atar uma mosca. É até possível fazê-lo sem o uso da morsa própria para a finalidade, improvisando com morsas de marcenaria, alicates de pressão, mandris de furadeira e outros, mas é muito mais simples e cômodo usar a morsa para fly, o investimento compensa. É encontrada em diferentes modelos e preços, basicamente em duas categorias: fixa ou giratória. Esta, como o nome diz, gira em torno do próprio eixo e permite manobras úteis, sendo mais versátil. Facilita virar o anzol de cabeça para baixo durante o trabalho, além de enrolar uniformemente alguns tipos de materiais. Nada que, com um pouco mais de trabalho, não possa ser feito com uma morsa fixa. Um dos aspectos importantes que define a qualidade de uma morsa é a capacidade que ela tem de fixar tanto anzóis grandes como pequenos. A fixação à mesa de trabalho pode ser feita com “c-clamp” (grampo) ou através de bases de granito ou ferro. A vantagem de usar uma base é a mobilidade, já que ela pode ser apoiada em qualquer superfície e evita riscar “aquela mesa nova”.

2. Bobina ou bobbin: sua função é segurar o carretel e dar tensão à linha usada para amarrar os materiais no anzol. Pode ser feita em diferentes tamanhos, formatos e acabamentos. As melhores têm uma ponta de cerâmica na parte interna, para evitar atrito e quebra da linha.

3. Tesoura: muito utilizada, seja para cortar, aparar ou acertar pontas, entre outras tarefas. É muito importante que seja de boa qualidade e que tenha corte bem afiado, pois estará cortando detalhes e a precisão é fundamental. A tesoura deve ser de ponta, e pequena. Para diminuir gastos, utilize uma tesoura de bordado, ou mesmo aquela da caixinha de costura que você já tem em casa.

 

4. Finalizador de nós ou whip finisher: mesmo que você não queira dar nós durante a confecção da isca, eles são necessários para finalizar o trabalho. Quando não são feitos, podem levar a mosca a desmanchar-se no ar, ou no primeiro ataque de peixe. O finalizador de nós é muito útil para dar acabamento aos nós.

5. Prendedor de penas ou hackle plier: utilizado para segurar alguns tipos de materiais que serão enrolados no anzol, principalmente penas. É possível segurá-los com as mãos, mas isso nem sempre é possível. Por serem delicados e frágeis, costumam arrebentar ou escapar no momento mais crítico.

6. Ponteira ou bodkin: ferramenta muito simples e bem eclética, funciona como o “11º dedo” de quem ata as iscas. Tem diversas utilidades, como furar, separar material, aplicar cola em locais complicados, posicionar a linha em várias situações etc. Há vários modelos disponíveis, embora qualquer objeto pontiagudo possa ser utilizado com razoável eficiência. Com o tempo, você fará os seus próprios bodkins, ou poderá adaptar objetos como agulhas de acupuntura, alfinetes e outros, e usá-los como tal.

7. Passador de linha ou bobbin threader: usado para passar a linha por dentro da bobina. Algumas pessoas preferem fazer essa operação chupando a linha com a boca, o que particularmente acho muito anti-higiênico. O passador de linha é prático e também pode ser usado para passar elásticos por dentro das iscas, dar acabamento em nós ou até passar a linha na guia de carretilhas. Pode ser de arame de aço ou náilon.

 

Fotos: Arquivo Pessoal/Betinho Oliveira

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter


Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.