Carrinho para pesca de praia


Da Redação PESCA ESPORTIVA
30/01/2017

A pesca de praia normalmente envolve o uso de diversos tipos de equipamentos, que compõe a clássica “tralha” do pescador: bolsa de varas, guarda-sol, cadeira, maleta de pesca, caixa térmica, secretárias, esperas e vários outros apetrechos. Quando optamos por praias cujo trajeto entre o carro e o ponto de pesca é curto, não há problema em carregar toda a bagagem. Já quando essa distância é grande, passamos pelo desconforto e pelo desgaste de fazer várias viagens para levar todo o material. O problema pode ser resolvido levando toda a tralha de uma vez, com o auxílio de um prático carrinho de pesca.

 

> Como é: o carrinho pode ser construído com diversos tipos de materiais, como PVC, madeira, ferro e alumínio, o mais indicado. Ainda não encontrei esse tipo de equipamento à venda nas lojas especializadas. A grande maioria é produzida ou adaptada pelos próprios pescadores, a partir de carrinhos construídos para outras finalidades. Um bom exemplo é o do carrinho de feira.
> Materiais: no caso do carrinho ilustrado nas fotos, um protótipo batizado como “GPP-Tractor 1”, foram usados tubos retangulares, tubos circulares, vergalhões e chapas, todos em alumínio, borracha, nylon ou plástico.
> Dimensões: cada pescador pode personalizar seu carrinho de acordo com o volume da tralha e o espaço físico do veículo. O modelo das fotos tem 1×0,55×0,44 m, com peso aproximado de 5 quilos.
> Confecção: após a finalização do projeto, feita num programa próprio para projetos em design e engenharia (o CAD), usou-se os seguintes equipamentos: torno automático, serra poli-corte e equipamento de solda MIG, além de ferramentas auxiliares como lima, esquadro e martelo.
> Capacidade: testado em areia grossa e fofa, o protótipo comportou 1 caixa térmica de 50 litros, 1 guarda-sol, 1 cadeira de praia, 2 maletas de pesca, 4 esperas e 2 secretárias. Todos, devidamente amarrados com extensores.
> Acessórios: variam de acordo com a necessidade e a criatividade do pescador. Neste protótipo, acoplamos itens bastante usados na praia: duas esperas fixas e dois ganchos, para lixo e toalha.
> Custo: o dos materiais foi de aproximadamente R$270, além de R$230 referentes à solda em alumínio, que é cara, e da mão-de-obra.

O ponto principal
Verificamos, após a finalização do projeto, que um dos pontos fundamentais para seu sucesso são a rodas. É fundamental usar rodas largas para que o conjunto não se prenda na areia. Um bom material é o plástico injetável, resistente e de grande durabilidade.

 

Fotos: Marcelo Rubio Esteves

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.