As iscas gigantes são a nova onda na pesca de mar


Da Redação PESCA ESPORTIVA
06/02/2017

 

Que pescador nunca sonhou ter na caixa de pesca a “isca perfeita” – com formato, cor, tamanho e trabalho na medida certa? No mundo globalizado, um simples clique no mouse permite-nos acessar sites de fabricantes de iscas modernas, conceituais e com acabamento perfeito, aproximando um pouco o sonho da realidade. Adquirir tais objetos de desejo, no entanto, não é tão fácil, principalmente quando a modalidade a que a isca se destina ainda está sendo introduzida no Brasil e o acesso a ela é difícil. É o caso da pesca “peso-pesada” no mar que faz uso de varas com 8 a 9 pés (2,44 a 2,74 m), molinetes com capacidade de armazenamento para mais de 300 metros de linha e as vedetes da modalidade, grandes iscas de superfície com pesos entre 60 a nada menos que 200 gramas.
Para não ficarem fora da onda, alguns pescadores partem para a fabricação própria de suas iscas. É o caso de Julio “Snook” Bae, de São Paulo. Fanático pescador de robalos, Julio sempre gostou de incrementar suas iscas. Algumas eram transformadas em poderosos sticks, enquanto outras tinham sua flutuação alterada. O passo seguinte foi a pintura das artificiais, começando com sprays e pincéis e, em pouco tempo, evoluindo para aerógrafos e técnicas especiais. Num último e recente estágio, o pescador passou a fabricar as próprias iscas. Como se vê nas fotos, o alvo da manufatura são as big iscas para o mar: comida de “gente grande”, produzidas com técnica e acabamento que nada devem aos modelos importados.

Exclusivismo
O processo de fabricação leva-nos a compreender porque as iscas de Julio são tão exclusivas. Depois de serem torneadas individualmente até obter o formato certo, recebem uma sessão manual de lixa. A pintura é feita por meio de aerógrafos, com tintas e produtos resistentes a condições extremas de temperatura. Os padrões de cores são adaptados conforme o gosto do pescador.
Os modelos que têm obtido grande sucesso entre os pescadores dessa modalidade são de superfície, principalmente poppers e pencil-poppers. Eles podem receber pesos variados, o que contribui para a distância dos arremessos e sua ação durante o trabalho. Além disso, todas foram desenvolvidas para serem extremamente resistentes: o sistema de fixação dos pitões é constituído por um arame único e reforçado. Evita-se, assim, o tradicional uso de pitões com rosca, que podem acabar desgastando a madeira conforme o tempo de uso.
A grande vantagem das iscas feitas customizadas, a exemplo das varas, é o fato de poderem ser adaptadas às preferências e situações pessoais de cada um. Peixes como o atum, por exemplo, costumam atacar avidamente iscas menores. Com técnica e habilidade, poppers pequenos podem ser fabricados em casa, com o diferencial de acoplarem pesos extras para ganho de distância de arremesso. Da mesma forma, o pescador pode escolher as cores de suas iscas, seja para radicalizar seu visual ou com o fim de imitar as presas favoritas de seu peixe-alvo.

Dicas

– Muitas dessas grandes iscas foram desenvolvidas para a pesca de espécies gigantes de xaréus, atuns e outros. Cada uma delas pode pesar até 200 gramas, certifique-se de que seu equipamento será capaz de arremessar iscas desse porte.

– O uso de garatéias sem farpa (“barbless”) é altamente recomendado nessa modalidade. Acidentes com iscas desse porte podem trazer grandes complicações.

 

Para saber mais sobre iscas custom, entre no blog de Julio Bae: http://custom-lures.blogspot.com/

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.