10 dicas para pescar na Teta


Da Redação PESCA ESPORTIVA
22/05/2017

1. Aproveite o longo tempo do trajeto (cerca de três a quatro horas de navegação) para revisar seu equipamento. Verifique tudo: refaça os nós, substitua a linha ou o líder se notar algum desgaste anormal e faça uma prévia seleção das iscas que darão início ao jogo.

2. Jamais trave sua fricção ao máximo, o resultado poderá ser frustrante por três motivos: um grande troféu pode aparecer e, já na batida, arrebentar tudo com sua força; se um peixe atacar sem muito afinco e estiver mal fisgado, sua pele se romperá com facilidade; mesmo que bem fisgado, o peixe poderá, durante a briga, alargar o orifício por onde o anzol penetrou, facilitando sua fuga. Uma regulagem simples e eficiente pode ser obtida regulando-se a fricção de modo que se consiga retirar linha do carretel imprimindo bastante força.

3. Mesmo que não o utilize, mantenha próximo à praça de pesca da embarcação um cinturão de briga (fighting-belt). Quando um grande exemplar decidir atacar sua isca ou quando a exaustão der seus primeiros sinais, você não perderá tempo em procurá-lo.

4. Dê preferência para os metais mais pesados e menos hidrodinâmicos nas primeiras “jigadas”, quando sua disposição física será maior. Quando se cansar, mude para jigs finos, simétricos e tão leves quanto for possível.

5. Tenha sempre em mãos um carretel de multifilamento de reserva para recarregar sua carretilha ou molinete, caso aconteça um súbito “descarregão” de linha ou ela seja cortada por peixes-porco, cavalas ou barracudas.

6. Use luvas para trabalhar com mais firmeza e evitar a formação de bolhas nas mãos, causadas principalmente pelos manetes de grandes molinetes após algumas horas consecutivas de uso intenso.

7.A cada vez que a embarcação se reposiciona, vale a pena soltar ao menos duas iscas de corrico. A região da Teta é muito frequentada por atuns, que podem garantir um delicioso e fresquíssimo sashimi a bordo.

8. Antes de embarcar numa empreitada desse porte, acompanhe atentamente as condições meteorológicas do dia da pescaria, não hesitando em desmarcar a viagem sob más previsões. E evite embarcações muito velhas ou lentas; o passeio de quatro horas pode se transformar em oito ou dez horas de martírio com mar revolto, além do perigo de alguma avaria no meio do oceano.

9.Seja cordial com seus companheiros de pesca. Se seu desempenho se destacar em relação ao deles, informe-lhes dados como profundidade, velocidade de trabalho e cor da isca usada, a diversão deve ser para todos a bordo.

 

10. Quando pescar na plataforma Mexilhão, seja corricando, “jigando” ou arremessando, jamais se aproxime demais das colunas que a sustentam. Mantenha-se a pelo menos 300 metros, evitando ser advertido pela ensurdecedora sirene de segurança da plataforma

 

 

Fotos: Arquivo/Revista Pesca Esportiva

Compartilhe:

Agenda

Próximos Eventos


@revistapescaesportiva

Twitter

Assine a Revista Pesca Esportiva com 7% de desconto e frete grátis.